Avançar para o conteúdo principal

Evolução ou decadência


Pensamos que um dos grandes problemas da nossa época reside no facto dos homens não saberem no seio da Igreja discernir entre evolução natural e degradação ou corrupção. É evidente que todas as coisas neste mundo estão sujeitas à mudança, dadas as suas imperfeições e limitações, mas temos de ser sábios e sensatos quando lidamos com a mudança. Sobretudo os crentes têm o privilégio de possuir o conhecimento da Palavra de Deus, a Qual é eterna e imutável; por consequência, todas as mudanças que se operam na sociedade e no seio da Igreja devem ser examinadas à luz da Sagrada Escritura.
Verificamos, com certa perplexidade, que muitos crentes aceitam e até cooperam na atual degradação e corrupção em que caiu o meio Evangélico, com a alegação de que os tempos mudaram, tudo evolui e já não podemos continuar a pensar e a agir como os nossos antepassados.
Obviamente que se estudarmos a história da Igreja veremos que houve inúmeras mudanças ao longo dos séculos, quer ao nível do culto, quer ao nível da própria estrutura eclesiástica… Contudo, essas mudanças procuraram sempre estar em conformidade com os padrões do Novo Testamento para a Igreja Cristã e manter a sua fidelidade à doutrina imutável do Divino Mestre (refiro-me às igrejas genuinamente Evangélicas).
O que acontece nos nossos dias é que as igrejas estão a deixar de ter como padrão o Novo Testamento, quer para os seus cultos, quer para as suas novas doutrinas, algumas muito próximas do misticismo oriental e até do “espiritismo”. Outras igrejas enveredam pela conformação com o espírito da época na área do louvor e noutras áreas de cariz social ou desportivo, a fim de atraírem mais pessoas, sobretudo jovens…
Em qualquer dos casos não há evolução, mas sim decadência espiritual ou mesmo apostasia…

As mensagens mais procuradas

A reverência na casa de Deus

Muitos pastores, na sua experiência e psicologia prática, afirmam que podem conhecer um crente pelo seu modo de entrar na casa de oração: conhecer a sua espiritualidade, o seu amor a Deus e o conhecimento que tem do Altíssimo.
Há aqueles que entram já depois do culto ter começado, com grande ruído e aparato, sem a mínima reverência, falando com quem passam, sem qualquer respeito para com o acto de culto que está a decorrer. Há, também, crentes que quando chegam mais cedo ficam a falar e a rir no átrio, e só resolvem entrar quando ouvem a congregação cantar o primeiro hino. Outros, durante a prégação da Palavra de Deus estão sempre a olhar para trás e para os lados, com tanta leviandade que causam tristeza. Devemos entrar e estar na casa de Deus com reverência, conscientes do que ali se está a fazer, e sobretudo sabendo que aquele é o lugar onde o nome excelso de Jesus é invocado e anunciado aos pecadores. Não devemos ser tão negativos ao ponto de julgarmos uma congregação inteira por m…

Tiago 4:7

Satanás não dorme e está em constante atividade, preparando-nos ciladas e tentando continuamente os remidos do Senhor. Importa, pois, que estejamos conscientes da existência deste astuto Inimigo. Quer os homens creiam ou não, o facto é que Satanás existe, pois a Palavra de Deus assim o afirma.
Vejamos, então, alguns efeitos da ação do Inimigo na vida dos crentes em Jesus Cristo:
Quem é que leva os crentes a optarem por uma ida ao cinema, ao futebol, à praia ou ao campo, em vez de estarem na casa de oração a cultuarem a Deus? Quem fomenta nalguns crentes o hábito de chegarem sempre depois do culto já ter começado? Quem faz com que os pensamentos de muitos voem para bem longe durante o culto? Quem incentiva a nossa preguiça natural levando-nos a preferir ficar a descansar em casa, em vez de irmos participar no culto da nossa igreja? Quem faz com que tantos sejam atraídos por más companhias e más conversações? Todos sabemos que o Inimigo procura continuamente desviar-nos da leitura diária…

Romanos 3:9

Sabemos que todas as coisas que sucedem na nossa vida e à nossa volta na sociedade contribuem, na sua globalidade, para o nosso bem.Que bem é este?
Sermos conformes à imagem de Cristo. A Escritura afirma que aqueles aos quais Deus conheceu como Seus, e aos quais amou e ama com amor eterno em Cristo Jesus, a esses também predestinou para serem conformes à imagem de Seu Filho, a fim de que Ele seja o primogénito entre muitos irmãos.
Assim, todos aqueles a quem Deus chama e atrai a Jesus Cristo por meio da fé no Evangelho, a todos esses o próprio Senhor vai moldando e aperfeiçoando em Cristo Jesus, de modo a que no final dessa Sua obra em nós, estejamos conformes à imagem de Cristo.
Sabemos que Deus opera em nós, não só pelo Seu Espírito, mas também através dos diversos acontecimentos e circunstâncias que surgem na nossa vida ao longo desta peregrinação terrena. Portanto, por mais adversas e penosas que sejam as situações pelas quais passamos, sabemos que todas elas têm um alvo na nossa vid…

“Regozijai-vos sempre no Senhor"

“REGOZIJAI-VOS SEMPRE NO SENHOR; OUTRA VEZ DIGO, REGOZIJAI-VOS” (Filipenses 4:4)

A mensagem da cruz não deixou por certo de nos lembrar que temos de nos identificar com o sofrimento, a condenação e a morte do nosso Senhor. Mas por isso, e além disso, a mensagem da cruz diz-nos também que temos de nos regozijar continuamente no Senhor.
Porquê?
Porque Ele ressuscitou, porque Ele venceu a morte e subiu aos céus estando agora acima de tudo e de todos, sendo soberano sobre os céus e sobre a terra, pelo que nada, nem ninguém nos pode separar do Seu amor.
Ignoramos ainda o verdadeiro significado da fé e todo o horror do inferno, temos ainda uma visão insuficiente da nossa perdição enquanto não compreendermos o significado profundo deste “regozijai-vos”. Por isso há tantos desejos insatisfeitos no nosso coração e qualquer acontecimento, feliz ou infeliz, qualquer mágoa ou dor oculta, coisas a que damos evidentemente proporções gigantescas, reaparecem como os deuses que de facto reconhecemos e …