Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Setembro, 2009

Perplexo

 Algo que me deixa perplexo é verificar como grande número de pessoas se deixa ainda seduzir e manipular por movimentos e por indivíduos que, usando de forma distorcida o Evangelho e invocando de um modo abusivo e perverso o próprio nome do Senhor Jesus, anunciam antecipadamente milagres e maravilhas como se eles pudessem por meio da “fé” (se é que se pode falar de fé nestas situações de fraude e embuste) ordenar a Deus que aja e opere segundo o querer deles. E as pessoas, no meio da crise financeira em que todos vivemos, e no meio dos problemas difíceis de saúde ou de relacionamento familiar em que se encontram envolvidas, tornam-se um terreno propício para o logro e a impostura.
Sempre houve, e já havia no tempo em que o Senhor Jesus estava entre nós, homens que usavam a religião como capa para a satisfação das suas ambições e desejos, por vezes ignóbeis e sempre contrários à vontade de Deus para a vida humana. Assim, nada há de novo sob o sol. O que nos admira é que a nossa geração…

A mercantilização da fé

“A Mensagem Baptista” publicou há algum tempo atrás um artigo para o qual eu gostaria de chamar a atenção dos irmãos que leem este boletim. O seu autor refere-se à situação da Igreja no Brasil, mas é perfeitamente adequado à realidade que vivemos em Portugal. Vamos recordar alguns parágrafos desse texto de Ziel Machado e refletir na situação das igrejas evangélicas do nosso país:
“Um dos piores inimigos da fé evangélica é o processo de mercantilização da fé com todos os seus derivados…” Referência àqueles que se servem da fé, sobretudo da fé dos outros, para enriquecerem explorando a credulidade e ingenuidade do próximo. Este negócio com a fé não só é um embuste e uma fraude espiritual, mas também desvia a muitos da genuína fé evangélica, criando anti-corpos espirituais contra o verdadeiro Evangelho de Cristo.
“Uma espiritualidade que faz pouco caso da revelação contida nas Escrituras acaba se tornando uma capa religiosa para um sistema que transforma a casa de oração para todos os pov…

Aí está ela!

Vivemos tempos de apostasia, tal como haviam predito os apóstolos e o próprio Senhor Jesus. Uma das razões para a atual apostasia, para além da velha influência do racionalismo e do naturalismo científico provenientes das revoluções sociais e ideológicas, reside no facto de grande parte dos cristãos evangélicos se terem tornado de tal modo “místicos” que já não reverenciam, nem se submetem à Palavra escrita de Deus. Tais evangélicos estão de tal maneira virados para si mesmos e para as suas experiências pessoais, para o que sentem dentro de si, que consideram a doutrina bíblica como algo secundário, ou mesmo sem relevância. Uma igreja que afirma que a sua fidelidade aos ensinos da Sagrada Escritura não tem grande significado, nem é importante aos olhos de Deus, e que substitui essa fidelidade pelas experiências sobrenaturais dos seus membros, pelos testemunhos públicos dessas experiências, sonhos ou visões, uma tal igreja derrapou espiritualmente e caiu no misticismo. Ao afastar-se do p…

Liberdades individuais

Os Baptistas sempre foram acérrimos defensores das liberdades individuais, por isso as igrejas locais são autónomas e embora cooperem fraternalmente entre si nenhuma delas está sujeita a outra ou a qualquer organismo central.
Cremos que a salvação é individual, apesar de todos sermos membros de um só Corpo, e constituamos portanto um coletivo. No entanto, cada um é chamado por Deus e atraído a Cristo de um modo muito particular. A Bíblia diz-nos que o Senhor chama a cada uma das Suas ovelhas pelo seu nome e conhece a cada uma delas desde a eternidade, amando-as com um amor eterno.
Por isso defendemos que cada indivíduo seja livre para expressar a sua fé ou incredulidade segundo os ditames da sua consciência. Mas o exercício duma tal liberdade pressupõe responsabilidade, honestidade e seriedade. A liberdade sem responsabilidade faz-nos cair na libertinagem e no caos anárquico. A liberdade sem honestidade é uma porta aberta à fraude, ao embuste e à propagação da mentira. A liberdade sem…

Reflexões éticas

A)Ao nível dos crentes
Os crentes devem instruir os filhos nos caminhos do Senhor, orientá-los, aconselhá-los e discipliná-los de acordo com os ensinos da Bíblia. Devem trazê-los consigo aos cultos na igreja, inscrevê-los na Escola Dominical e incluí-los no culto doméstico ou outras atividades espirituais no lar, mas deixando-os sempre livres para no devido tempo tomarem conscientemente uma decisão pessoal quanto ao seu relacionamento ou não relacionamento com Deus.
B)Ao nível do Estado
Cremos que devem ser evitados dois extremos igualmente nocivos:
O ateísmo prático: em que as leis são feitas sem qualquer orientação transcendente, sem qualquer referência ao Criador e Legislador do universo. Na verdade, com que direito um homem ou um grupo de homens, mesmo maioritário, impõe aos outros os seus princípios éticos e sociais?
O confessionalismo religioso: quando pretende impor a todos os cidadãos a mesma religião e prática religiosa. Embora as leis sociais tenham uma orientação espiritual (uma…