Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Novembro, 2012

O alvo eterno de Deus

Se lermos bem toda A Sagrada Escritura iremos concluir que o alvo de Deus foi sempre a salvação do mundo e não apenas a salvação de Israel. Israel foi uma mera etapa nesse processo de salvação do mundo. Aprouve a Deus suscitar um povo de entre todos os povos da terra, a fim de Se revelar de forma particular aos homens através desse povo e por meio desse povo. Assim, durante séculos, Israel foi o povo amado e escolhido de Deus para receber os Seus ensinos e a Sua Lei, para ser testemunha do Altíssimo no meio dos povos. Infelizmente, a dureza de coração do povo eleito não permitiu, na maior parte do tempo, que esse testemunho fosse eficaz e levasse os outros povos ao conhecimento do único Deus vivo e verdadeiro. No entanto, o Senhor não deixou de concretizar o Seu propósito eterno através desse povo, suscitando no seio dele, na plenitude dos tempos, o Salvador do mundo, Aquele que era não só o Rei de Israel, mas também o Rei dos reis e Senhor dos senhores para todos os povos. Agora em Jesus…

Nascemos de novo?

Uma das características mais evidentes na vida daqueles que possuem o amor de Cristo nos seus corações é a de viverem não mais para si mesmos, mas sim para Aquele que por eles morreu e ressuscitou (II Cor.5:14-15). Se já morremos com Cristo é a fim de vivermos também n’Ele e por Ele, pelo que a nossa vida já não nos pertence, já não é verdadeiramente “nossa”, pois agora Jesus Cristo é o nosso Senhor, portanto a “nossa” vida pertence-Lhe a Ele. Na prática esta realidade revela-se num esquecimento de nós mesmos, dos nossos interesses e desejos humanos, por mais legítimos que sejam, a fim de buscarmos prioritariamente o reino de Deus e a Sua justiça (Mat.6:33). Infelizmente há ainda muitos que dizem ser cristãos, mas pensam apenas na sua saúde física, no seu bem-estar material, e buscam a Cristo sobretudo para a satisfação destas suas necessidades carnais. Revelam, assim, não terem ainda nascido de novo, não serem uma nova criação em Cristo, pois as coisas velhas continuam a ser uma priori…