Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Junho, 2018

Que ecumunismo?

A independência das igrejas locais é um princípio do Novo Testamento que importa preservar com toda a firmeza e convicção. As igrejas cristãs devem cooperar entre si se houver comunhão espiritual entre elas, o que só é possível se forem igrejas da mesma fé e ordem. A fidelidade à Verdade é tão imprescindível como o Amor na comunhão fraterna. Sem amor não há comunhão, e o mesmo sucede quando se diverge em questões de fé e de interpretação de ensinos bíblicos fundamentais. Também a ordem no culto, a reverência, a seriedade e profundidade no louvor e na adoração, sem excluir a alegria no Espírito, são essenciais para que possamos estar unidos no culto. A unidade desejada e pedida por Cristo ao Pai fundamenta-se nos dois pilares que são a Verdade e o Amor: "... que também eles sejam um em nós" (João 17:21). O padrão é a unidade que há entre o Pai e o Filho no seio da Triunidade Divina. E só quando estamos em Cristo, que é Amor e Verdade, podemos ter comunhão com Deus e comunhão …

Das Trevas à Luz

Das Trevas à Luz
Música:ARTHUR LAKSCHEVITZ

Coro da Primeira Igreja Baptista de Lisboa

Árvores, Frutos e Sinais

Profunda crise

Vivemos num mundo em profunda crise espiritual. Não nos deixemos iludir pelo número crescente de novas igrejas com o rótulo de "Evangélicas". Elas são em si mesmo, o reflexo visível dessa profunda crise. De facto, com raras exceções, essas novas igrejas anunciam um outro "evangelho" e defendem novas formas de adoração e de louvor que nada têm a ver com a tradição histórica Evangélica, essa sim, firmada nos ensinos e práticas do Novo Testamento. É frequente vermos nalgumas igrejas chamadas carismáticas uma salada mista composta de evangelho, romanismo e espiritismo... Tudo com o alvo de atrair e cativar o maior número de "adeptos".
Deste modo, o combate pela fé uma vez dada aos santos torna-se cada vez mais acutilante e perigoso. Só quem estiver bem enraizado nos ensinos bíblicos e se alimentar diariamente da Palavra de Deus, procurando guardar a sã doutrina Evangélica, poderá permanecer firme e vitorioso.
Damos graças a Deus pelas igrejas que, no meio des…

A apostasia dos nossos dias

Revelação e Humildade

São inúmeras as exortações bíblicas para que sejamos humildes em todas as áreas da nossa vivência e nomeadamente no nosso relacionamento com Deus. Devemos sentir continuamente em nós o desejo e a necessidade de aprender mais, de estar mais tempo em comunhão com Deus, ouvindo o que Ele tem para nos dizer pelo Seu Espírito quando lemos a Sua Santa Palavra. Verdadeiramente, nós nada sabemos e precisamos de que o Senhor nos instrua em cada momento e circunstância da nossa vida. Só em Cristo somos sábios, só na Bíblia encontramos a luz que nos guia no caminho em que devemos andar, a lâmpada para os nossos pés. Só Ela, por ser a Palavra de Deus, pode tornar-nos sábios para a salvação pela fé que há em Cristo Jesus. No entanto, encontramos tanto orgulho espiritual à nossa volta.... Tantos líderes espirituais que assumem saber muito Alguns chegam a afirmar saber mais hoje do que os apóstolos do Senhor Jesus sabiam quando, inspirados pelo Espírito Santo, escreveram as páginas do Novo Testament…

Como Abraão viu o Dia de Cristo

A alegria da salvação

O notável comentador das Escrituras, William Taylor relata-nos o seguinte, num dos seus livros:
«Quando eu era jovem pastor, ouvi um sermão sobre "Quatro colunas da Vida Cristã estável". São estas: "A minha salvação depende do que Cristo fez por mim no Calvário. A minha certeza e segurança depende da Palavra de Cristo, dada ao crente. A minha alegria na salvação depende do meu andar com Cristo. E o meu galardão depende do meu trabalho, obediente a Cristo". Desde aquela hora, nunca tive dúvidas da minha salvação por um instante. Esta certeza inabalável depende da Palavra de Cristo: "Dou-lhes a vida eterna, e nunca hão-de perecer".» A alegria da salvação é a suprema alegria e cria no crente a certeza, a estabilidade, o espírito voluntário e o testemunho entusiasmado e eficaz. A dúvida enfraquece, confunde, aliena e destrói. A própria essência da fé é certeza e convicção, e onde estas não existem, não existe fé. A fé em Cristo implica crer em tudo quanto Cris…

O Pão do Céu

A Autenticidade do Evangelho

O apóstolo Pedro, na sua 2ª carta, exorta-nos a que procuremos fazer cada vez mais firme a nossa vocação e eleição, a fim de não tropeçarmos e não nos desviarmos da fé uma vez dada aos santos.O apóstolo procura ainda tornar conscientes os seus leitores da autenticidade do Evangelho que é proclamado e ensinado por ele e pelos restantes apóstolos de Jesus Cristo. Os crentes podiam ter a certeza de que o Evangelho era o relato de algo que os próprios apóstolos tinham visto e ouvido. Ou seja, eles tinham estado com Jesus ao longo de todo o Seu ministério terreno, tinham visto com os seus próprios olhos e tinham ouvido com os seus próprios ouvidos, tudo o que o Senhor ensinara e fizera na revelação do Seu Divino poder.
A Boa Nova de Jesus Cristo não era fruto da imaginação dos homens, não era um conjunto de fábulas artificialmente compostas, mas era uma realidade que havia sido vivida por aqueles que agora a proclamavam.
O próprio Deus testemunhara do céu, “da magnífica glória”, de forma a…

"...Se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo" (Gálatas 1:10)

Esta é talvez a maior e mais tremenda opção que terá de fazer um pastor ou ministro da Palavra de Deus. Quem sobe ao púlpito, ou noutro lugar qualquer préga o Evangelho, tem de ter como alvo agradar a Deus, ser fiel à Palavra do Senhor e instruir os homens em todo o conselho de Deus. Quando o pregador procura agradar aos homens, ou pelo menos tenta evitar decepcioná-los ou escandalizá-los, então vem infalivelmente a falsificação e adulteração do Evangelho.
Por que razão algumas doutrinas bíblicas são ignoradas ou interpretadas duma forma tão superficial e leviana que acabam por ser "compreendidas" de um modo errado? Por que razão, atualmente, se ouve raramente dos nossos púlpitos a exigência básica feita por Jesus àqueles que querem ser Seus discípulos: Negarem-se a si mesmos, tornarem cada dia a sua cruz e seguirem-No (Lucas 9:23)...? Por que razão a tendência é levar as pessoas a crer que Cristo suprirá sempre todas as suas necessidades físicas e materiais, pelo que nunca …